A manhã desta quinta-feira, 23, começou frenética na cama entre Marcos e Emilly. Os dois tiveram a relação íntima mais forte até agora no ‘Big Brother Brasil’.Novamente, tudo começou após um desentendimento na casa mais vigiada do país. Eles brigaram e resolveram tudo na cama. A única coisa que parece não gerar qualquer divergência no casal é, justamente, o sexo. No edredom, os dois fizeram movimentos frenéticos. A coisa ficou tão caliente que, segundos alguns telespectadores, o sinal do pay per view da câmera que filmava os dois chegou a ser cortado. Mesmo assim, deu total noção para o público saber o que acontecia embaixo das cobertas.

As críticas aos dois por toda hora protagonizarem cenas calientes não são de hoje. Frequentemente, eles acabam aparecendo em situações como essa. Emilly e Marcos teriam, inclusive, feito sexo sem camisinha, o que poderia gerar um risco à saúde dos dois, além de uma possível gravidez. Antes de entrarem no reality show, os participantes fazem exames de sangue para saber se possuem algum tipo de doença sexualmente transmissível. Caso possuam Aids, por exemplo, eles são eliminados. Outras doenças, como pressão alta e diabetes, são permitidas, mas desde com moderação.

O problema é que muitas vezes a pessoa possui alguma doença transmissível com carga viral baixa, ou seja, nos exames não são detectadas, mas podem sim ser transmissíveis, ainda que com bem menor risco. Marcos denunciou que não usa camisinha com Emilly em uma brincadeira feita nesta quarta-feira, 23. Sem ter o que fazer no confinamento, ele encheu uma camisinha com água. Já que ninguém usa isso aqui, a gente brinca, disse ele.

Ainda em outra conversa com a sister, ela revelou que seu maior sonho é ser mãe e que, para isso, seria capaz de ter um filho solteira, mesmo sabendo que o pai não ficaria com ela ou daria bola para a criança. O médico argumentou que filhos de pai separados não são saudáveis. O UOL chegou a fazer uma reportagem em que uma psicóloga condenou a opinião do seu colega de profissão. #BBB